Trilhas Filosóficas, Vol. 9, No 1 (2016)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

A estrutura em território filosófico: uma leitura de Mauss, Lévi-Strauss e Merleau-Ponty

Leonardo de Sousa Oliveira Tavares

Resumo


A escola etnológica do estruturalismo vigorava em uma França predominantemente existencialista e fenomenológica, em termos de teoria filosófica. O conceito de estrutura que perpassa as novas ciências, a citar, sociologia, psicologia e linguística, torna-se, a partir de Merleau-Ponty, uma concepção filosófica digna de atenção. Nosso artigo consiste de uma análise da origem maussiana do conceito de estrutura em Lévi-Strauss e de como este mesmo conceito é reconfigurado por Merleau-Ponty. Buscaremos enfatizar as divergências metodológicas que existem entre os autores que, respectivamente, necessitam de uma base galilaica para sua teorização, ou optam por uma via metafísica. Trataremos de explicitar a estrutura merleau-pontyana como um conceito que lida com o desafio de integrar um discurso filosófico que, de certo modo, abarca os selvagens, na preparação de uma fuga da tradição cartesiana que subsidia as ciências modernas.

Texto Completo: PDF