Trilhas Filosóficas, Vol. 9, No 1 (2016)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

A ciencia positiva na perspectiva da l’Action (1893)

Galileu Galilei Medeiros de Souza, Emerson Araújo de Medeiros, Elisiane Pereira de Azevedo, Francineide Araújo de Medeiros

Resumo


o artigo pretende indicar a interpretação de Maurice Blondel sobre a ciência positiva de acordo com a sua L’Action (1893), a saber, que a ciência positiva se constrói pela ação humana, sem a qual não pode se justificar. Partimos da caracterização do que é a ciência positiva, considerando sobretudo o seu método, baseando-nos principalmente em considerações feitas a esse respeito por Karl Popper (2007) e Thomas Kuhn (2013). Em um segundo momento, procuraremos explicitar a argumentação blondeliana sobre o estatuto da ciência positiva, entendida como o resultado de um fecundo comércio entre ciências dedutivas e ciências experimentais, apoiado em uma falha constitutiva. 

Texto Completo: PDF